sexta-feira, 10 de abril de 2015

A Beleza da Alma

Eu sinto

Eu acredito

Eu vibro

E lamento...

Entristece-me saber da intolerância do ser
Machuca-me ver a indiferença de quem não crê
Aborrece-me ouvir a indulgência da insensatez
Indigna-me o descaso de quem nada é capaz de fazer

Eu acredito na coragem dos que amam
Eu admiro a ousadia de quem enfrenta
Eu me curvo à sabedoria dos que sempre buscam
Eu me deleito no prazer dos que a vida saboreia

Sou inteira por isso aprecio o valor
Sou plena e assim acredito no amor
Sou intensa e então, irradio o meu calor
Sou sincera e por onde passo levo o meu bom humor

Eu fujo do covarde
Eu evito o fraco
Eu me afasto do nefasto
Eu recuo ao soberbo

Quero da alegria me saciar

Quero do sentimento me elevar

Quero da escrita todas as letras registrar

Quero da vida a doçura saborear

Eu me encanto por quem aprecia o encanto
Eu me alegro quando vejo alegria na alma
Eu me emociono por sentir que há sentimento no ar
Eu me contagio pela coragem de quem é disposto a amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário